Notícias do setor

Prepare um jantar saudável


Visando perder alguns quilinhos e deixar o corpo mais enxuto, inúmeras pessoas passam a não realizar o jantar. No entanto, assim como todas as outras refeições principais, essa alimentação é essencial para o bom funcionamento do organismo. “O jantar irá fornecer energia e nutrientes que manterão adequadamente nossas funções metabólicas durante o período de jejum que enfrentaremos durante o sono. Nossa principal reserva utilizada durante a noite e principalmente na madrugada é o glicogênio armazenado no fígado, mas esta fonte energética se esgota rapidamente durante o período de jejum noturno, por isso é fundamental o jantar para evitar que apresentemos hipoglicemia durante a madrugada ou início da manhã”, explica Andreia Guarnieri, nutróloga de São Paulo (SP). Ela destaca, ainda, que essa refeição contribui com a modulação hormonal, em especial dos hormônios cortisol (conhecido como hormônio do estresse), glucagon e insulina, que têm relação com os níveis glicêmicos e a regulação do acúmulo de gordura corporal. “Pular o jantar é uma péssima ideia, pois aumenta o risco de alterações metabólicas e hormonais, hipoglicemia e perda de massa muscular. Além de sinalizar ao organismo um período de escassez, que favorece maior absorção e acúmulo de todos os nutrientes da refeição subsequente”, completa.

Mas para que essa refeição ofereça todos esses benefícios, contribua com a balança e não afete o sono, é importante que ela seja leve e em menor porção que as demais. “Porém também devem tender a serem completas, tanto em verduras, legumes, assim como em proteínas e carboidratos, ainda que em menores proporções”, afirma Andreia. Ela indica preparar uma salada com verduras, legumes e leguminosas (grão de bico, ervilha, lentilha, feijões) e consumir acompanhada de uma proteína (carne, peixe, frango, ovo).  Outra opção é uma omelete com legumes e salada verde. Para dias mais frios vale preparar uma “sopa de legumes com um pouco de carboidrato complexo, como batata doce, inhame, cará, arroz ou macarrão integral e uma proteína – tofu, carne, frango, feijão”, recomenda.

Fonte: Revista Pense Leve