Notícias do setor

Qual a relação da obesidade com diabetes tipo 2?


A obesidade é uma doença crônica que vem crescendo significativamente. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, uma em cada cinco pessoas está acima do peso. Um dos riscos que a obesidade traz é o de desenvolver diabetes mellitus tipo 2 (DM2).

De acordo com Marcela Tardioli consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães e Bolos Industrializados (Abimapi), em São Paulo (SP), isso acontece porque a obesidade gera um processo inflamatório que ativa reações que, por sua vez, podem inibir a ação da insulina. Porém, nem todo o obeso é portador de DM2 e também existem outros fatores que promovem essa enfermidade, como a alimentação inadequada e o sedentarismo. A seguir, a nutricionista desvenda algumas dúvidas comuns sobre a alimentação dos portadores de DM2:

1) Alguns alimentos controlam os níveis de glicose no sangue, auxiliando o tratamento do diabetes.

VERDADE. Quando um alimento tem o índice glicêmico baixo, ele retarda a absorção da glicose pelo sangue e, portanto estabiliza a doença. Alimentos integrais como pães, macarrão e biscoitos, portanto, ajudam a amenizar os sintomas da doença.  Mas, quando o índice é alto, esta absorção é rápida e acelera o aumento das taxas de glicose.

2) Não pode comer carboidrato.

MITO. A Sociedade Brasileira de Diabetes recomenda que o tratamento seja associado não só a uma alimentação saudável, como também equilibrada. Isso inclui todos os nutrientes, incluindo carboidratos, proteínas e lipídeos. Considerando a regulação do açúcar no sangue, é necessário evitar o consumo de açúcares simples e aumentar o teor de fibras na dieta.

3) Não existe uma recomendação para o consumo de carboidratos

MITO. Como a diabetes tipo 2 pode apresentar diversos estágios, é necessário que o paciente faça acompanhamento com um profissional para entender exatamente o quanto de carboidrato precisa. Mas no geral, a recomendação é entre 45 a 60% da quantidade de calorias diárias.

4) É importante praticar atividade física.

VERDADE. A atividade física regular tem efeitos benéficos como a melhora da capacidade cardiorrespiratória, da composição corporal (diminuição de massa gorda e aumento de massa magra), da massa óssea e da sensibilidade à insulina, além de promoção do bem-estar psicossocial.

Fonte: Revista Pense Leve