Notícias do setor

Faltando mais de dois meses para o Natal, prateleiras de mercados já oferecem panetones


Estimativa é de que as vendas do produto cresçam em 5%. Recheio de caramelo e versão alfajor estão entre as novidades de panetones para o Natal deste ano Tradicional guloseima de natal, panetones começam a ser vendidos meses antes da festa.

Mal começou outubro e várias lojas já expõem produto típico do Natal. A três meses da festa natalina, os panetones já podem ser encontrados nas prateleiras. E para atrair os consumidores, os principais fabricantes apostam em novidades.

Para este ano, a expectativa da Associação Brasileira da Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI) é de que as vendas de panetone cresçam 5% na comparação com o Natal passado. A estimativa é de que o faturamento chegue a R$ 735 milhões.

A fabricação do panetone começa em julho, quando são feitos os produtos para exportação, que vão para mais de 50 países. Em agosto, começa a produção nacional. A última fornada sai na primeira quinzena de dezembro.

Do fermento à caixinha, veja como é feito o panetone na maior fábrica do país. Levar o produto para as gôndolas dos supermercados três meses antes do Natal é estratégico, com o objetivo de alavancar as vendas.

“Disponibilizar panetone meses antes do Natal faz parte da estratégia de incentivar o consumo do item que é ícone da chegada da época mais gostosa do ano e, com isso, antecipar o espírito do Natal”, informou a Pandurata, proprietária das marcas Bauducco, Tommy e Visconti, que lidera o mercado.

A principal aposta da Bauducco para este ano é o Chocottone Maxi Caramelo – massa com gotas de chocolate ao invés de frutas cristalizadas, recheado com caramelo, recoberto com chocolate ao leite e decorado com chocolate branco.

Segundo a Bauducco, o chocottone, criado por ela há 40 anos, “é o responsável pelo rejuvenescimento da categoria e por liderar crescimento no segmento”. Por isso, a marca sempre aposta em incrementar a guloseima para conquistar mais clientes.

Já a Arcor, outra grande fabricante de panetones, traz ao mercado este ano a versão alfajor, com massa de chocolate e fermentação 100% natural.

“A novidade é a combinação perfeita do Panettone, com o delicioso recheio de doce de leite”, disse o gerente nacional de marketing da Arcor no Brasil, Anderson Freire.
Além do lançamento, a Arcor mantém a produção de outros sabores, lançados em natais passados: Petit Gateau, Paçoca Amor, Chocolate, Trufado, Brigadeiro Gourmet, Sonho e Sonho Doce de Leite.

Segundo a Abimapi, apesar da grande variedade de recheios, o tradicional panetone com frutas cristalizadas e o com gotas de chocolate na massa respondem por cerca de 80% das vendas do produto.

De acordo com o presidente-executivo da entidade, Cláudio Zanão, a inovação do produto, seja em recheio ou em embalagens personalizadas, agrega valor ao item natalino e ajuda a expandir o seu alcance entre os brasileiros.

“Este alimento está presente em 53,6% dos lares brasileiros. Ou seja, mais de 30 milhões de famílias consumiram panetone entre novembro de 2018 e janeiro deste ano”, disse Zanão.

Panetone como presente
Uma pesquisa realizada pela Abimapi mostrou que 20% dos lares brasileiros foram presenteados com panetone no Natal de 2018. A entidade aponta que os brasileiros têm relação afetiva com a guloseima e, por isso, ela fomenta um “mercado da saudade” no exterior.

O levantamento da entidade mostrou que os Estados Unidos é o principal destino das exportações de panetone devido ao número de imigrantes brasileiros que lá vivem, justamente por conta do valor afetivo agregado ao produto.

Ainda de acordo com a pesquisa, no último Natal foram vendidas 39 mil toneladas de panetone, 2,5% a mais que em 2017, que geraram faturamento de cerca de R$ 700 milhões. Nos Estados Unidos, foram vendidas cerca de 3 mil unidades, com faturamento estimado em US$ 8 milhões.

Fonte: Portal G1 News