Notícias do setor

O processo de transformação digital começa no RH


Apenas 30% das startups brasileiras trabalham com metodologias ágeis, método de gestão de processos com equipes de vários departamentos reunidas em torno de projetos – num jeitão de trabalhar bem distante do normal nas empresas.

Essa é a conclusão de um estudo recente da aceleradora de negócios ACE com o departamento de recursos humanos de 168 empresas de tecnologia de áreas diversas de atuação.

Quem aposta nesse tipo de metodologia costuma colher bons resultados. De acordo com o mesmo estudo, corporações com equipes multidisciplinares tendem a ser mais inovadoras e uma cultura organizacional mais coesa.

À primeira vista, esses conceitos podem parecer etéreos demais para serem aplicados no dia a dia das empresas. Os números mostram, contudo, que prestar atenção a eles pode significar, sim, mais lucratividade ao negócio.

De acordo com um estudo da consultoria Deloitte, empresas com cultura organizacional forte tendem a desenvolver produtos com mais frequência e lucrarem num ritmo duas vezes superior ao de concorrentes com menor engajamento.
Dito isso, o departamento de recursos humanos tem tudo para ganhar destaque – uma vez que dali devem sair mudanças necessárias para desenvolver a cultura organizacional da empresa inteira.

E, aí, ao que tudo indica, há um caminho grande a ser percorrido até as empresas entenderem o papel estratégico do RH nessa nova jornada. Há 30 anos, o RH era um departamento de uma pessoa só. Alguém do administrativo, que cuidava das contratações, demissões e folha de pagamento das empresas. Era um trabalho puramente burocrático.

Com o uso cada vez mais massivo de tecnologias, o papel do RH se transformou. Na década de 90, começou a era da gestão de pessoas. Hoje, essa área está passando por uma nova transformação mais radical, baseada não só em tecnologia, mas também em mudança cultural.

“Além de resolver o problema do presente, o RH precisa se antecipar às tendências do futuro”, diz Felipe Collins, sócio da ACE. Até lá, os departamentos de recursos humanos vão precisar acelerar a transição digital para acompanhar o protagonismo crescente.

De acordo com pesquisa da empresa de tecnologias para os recursos humanos Qulture.Rocks, apenas 15% das empresas consideram alta a utilização de tecnologia em seus RHs. Ao mesmo tempo, 91% das empresas entrevistas concorda que o uso de tecnologia é um aspecto fundamental para que a área de RH se torne mais estratégica no negócio.

Confira o cronograma das lives da Exame sobre RH Ágil:

O que o RH pode aprender com as startups? [22/10 – 19h]

Com Marcelo Furtado, CEO da Convenia, Francisco H. de Mello, CEO da Qulture Rocks, Frederico Lacerda, CEO da Pin People, e Felipe Collins, sócio da ACE.

RH estratégico e transformação digital [26/10 – 19h]
Com Ricardo Basaglia, managing director da Michael Page, Clarice Martins Costa, diretora de RH da Renner, e Felipe Collins, sócio da ACE.

Fonte: Exame