Notícias do setor

Curadoria é o novo marketing


Já tem tempo que os departamentos de marketing flertam com os criadores de conteúdo e o movimento de convergência do interesse entre esses dois caras está ficando maior a cada dia. O criador de conteúdo vem se tornando um especialista na leitura do interesse do consumidor pela marca e por isso se transformou em uma ferramenta poderosa de conexão entre o produto e o cliente.

O melhor marketing é aquele que acompanha a mudança na velocidade da cultura. E a única forma de conseguir fazer isso hoje é estar imerso, trabalhando lado a lado com o próprio criador de conteúdo que experimenta e valida o seu produto. O departamento de marketing que está antenado e acompanhando essa mudança começa a fazer suas adaptações, pois não dá pra competir com a velocidade de produção de conteúdo das redes. Mesmo um player gigante do mercado financeiro como o Banco Itaú, por exemplo, não consegue produzir dentro do seu departamento de marketing digital a mesma quantidade de conteúdo sobre educação financeira que o restante da internet. Impossível e ao mesmo tempo inviável.

A estratégia do novo marketing é surfar a onda da creators economy, trocando a criação de conteúdo interna pela estratégia de fazer curadoria de conteúdo que já está pronto na internet. Veja o case do Itaú: hoje quase 100% do conteúdo publicado na conta do TikTok do banco é produzido por criadores de conteúdo das redes sociais, de memes a dicas financeiras, de mega influencers a pessoas com 100 seguidores, o foco está na qualidade do conteúdo.

A mesma coisa acontece nos canais do McDonalds e da HBO, que mudaram a estratégia de produzir para consumir. Para acompanhar esse movimento, as marcas estão reestruturando seus departamentos de marketing, colocando foco no trabalho de buscar uma curadoria, edição e organização do conteúdo que já está sendo criado por pessoas anônimas nas redes sociais. Agora pensa na redução de custo e no impacto positivo para as marcas, porque não tem publicidade melhor do que o próprio consumidor interagindo com ela. Um match perfeito!

Passados dez anos, vemos um mercado de criadores de conteúdo já com muita maturidade, tanto em quem produz como em quem consome. Aprendemos a fazer curadoria, conseguimos identificar conteúdo relevante e diferenciar o perfil autêntico de um perfil puramente comercial. Um público consumidor de conteúdo que se tornou mais exigente, mas também muito mais fiel, o que contribui para elevar a régua de muito influencer.

E para cada produto novo que aparece surgem também criadores de conteúdo, que se tornam muitas vezes os especialistas no tema e parceiros das marcas, conectando seus fiéis seguidores aos seus produtos.

Quanto mais digital o mundo se torna, mais espaço se abre no mercado para esses profissionais. Esse é um número que nunca vai andar para trás. As indústrias estão conectadas e uma inovação impacta em outra inovação mesmo em verticais de negócio diferentes, criando oportunidades para todos. Esse é um mercado de 20 bilhões de dólares nos próximos 5 anos e eu vou te contar por que. Pense em quantas profissões novas pipocam do mundo digital e o quanto é impossível acompanhar a mesma velocidade de ensino em escolas físicas ou mesmo em escolas online, onde a barreira de entrada é apenas uma conta no Youtube ou no Instagram.

O ensino se tornou granular. É possível encontrar hoje conteúdo de absolutamente tudo, desde curso para ser feliz até curso para consertar refrigerador. Os profissionais que mais se destacam neste meio concorrido e tumultuado são aqueles que conseguem encontrar as maiores dores da sociedade. O curso para fazer o bebê dormir a noite toda é um sucesso. O curso sobre como viver o luto da perda de uma pessoa querida também é campeão em vendas. Dores comuns a todas as pessoas.

Na última década vimos uma mudança entre os criadores de conteúdo. A entrada de perfis de profissionais mais conservadores como médicos e advogados nas redes sociais trouxe um ganho para consumidor, pois elevou a régua de conteúdo dos influencers. Agora vemos outro grupo se movimentando e entrando também para este universo de criação, que são os executivos das grandes empresas, compartilhando os seus desafios diários e participando de lives e cursos online.

Existem milhares de pessoas falando hoje nas redes sociais e na internet sobre a sua marca, seu produto, serviço ou sua empresa. A criatividade do ser humano é infinita, basta apenas a gente provocar.

Um ótimo dia e até a próxima terça-feira, be fearless!

Fonte: Época Negócios