Notícias do setor

PLMA Chicago 2022 garante US$ 1,6 milhão em negócios para brasileiros


O projeto setorial ABIMAPI INTERNATIONAL (Brazilian Biscuits, Pasta, Breads & Cakes), criado pela ABIMAPI, promoveu a participação de 10 empresas na PLMA Chicago.

A feira, realizada em novembro, é considerada o mais importante encontro de Private Label para produtos alimentícios nos Estados Unidos, com 1400 expositores de todo o mundo.

As empresas Econatura, M. Dias Branco, Maricota, Marilan, Polpanorte (Grupo Zeppone), Petruz, Riclan, Santa Helena, Urbano e Vapza registraram US$1,6 milhão em negócios com expectativas de mais US$13,5 milhões para os próximos 12 meses.

A ação é uma parceria da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI) em parceria com a ApexBrasil.

Um dos destaques do evento foi a exposição de produtos e serviços das indústrias Santa Helena e Vapza na mostra anual “Idea Supermarket®”, com curadoria da PLMA (Private Label Manufacturers Association), organizadora do evento.

O Idea Supermarket® da PLMA permite que os visitantes explorem os melhores conceitos de marca própria, produtos e embalagens para varejistas dos Estados Unidos e demais do mundo.

As escolhas da Associação entre os produtos Santa Helena foram as linhas Amendoim Aperitivo (variedade de amendoins salgados em 6 sabores embalados separadamente em bandeja especial) e a Crokíssimo Boteco, uma variedade de snacks de amendoim saborizados.

Já o produto escolhido da Vapza foi o “Hearts of palm linguine” ou Linguine de palmito de pupunha, um produto plant-based vegano e embalado a vácuo.

De acordo com Rodrigo Iglesias, diretor internacional da Abimapi, esse foi o melhor resultado já obtido por seus empresários em uma edição da PLMA Chicago.

“O segmento de marcas próprias é um dos mais exigentes para as exportações das empresas do ramo alimentício, pois exige alta qualidade e segurança produtiva, alinhada a atendimento a prazos e volumes variados em fábrica, bem como preço competitivo que atenda a requisitos nos quatro cantos do planeta”, afirmou.

“É um caminho que, cada vez mais, as empresas buscam para acesso a mercados considerando o aumento da presença das marcas próprias em todo o mundo, especialmente após o início da pandemia”, finalizou.

Fonte: Portal Radar